segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

ROSA VERMELHA- (DA SÉRIE MULHER)




ROSA VERMELHA.


Sou uma rosa vermelha
Que saúda o quão a vida é bela
Meu vermelho não é devasso
Mas também, não sou donzela.

Altiva flor em beleza
Desde em botão, quando nasço.
Regenero de tão delicada.
Depois, em pétalas arregaço.

Reverenciada pelos bardos
Em seus versos e prosas
Inspiração que me permite;

Ora ser mulher, ora ser rosa.


Mônica Pamplona.
23/01/2017.

SOBRE AS FLORES.




SOBRE AS FLORES.


Disse certa vez, um poeta
Em melodia a musicar

“As flores não falam”

Ora que bobagem!
De que precisam falar?
Ainda que mudas permaneçam
Sabem como se expressar

Amam o amor em beleza
Servidas de toda pureza

Falar... Nada nos diria
Louva, portanto, o silêncio
Orvalha da noite para o dia
Reluz de luz sem dispêndio
E cabe aos bardos como reverencia
Sagrada e onipotente, poesia.


Mônica Pamplona.
23/01/2017.




MINTA PRA MIM.






MINTA PRA MIM.


São teus olhares furtivos
Maliciando outra pessoa
Ainda estando comigo!
A me mentir, à-toa!

Sempre tão apaixonado,
De forma sensual
Chega a ser engraçado
Mas também, não faz mal!

E quando tuas mãos vagueiam
Ávidas em meu corpo
Em carícias que salteiam
Pressinto algum engano,
de novo!

Só palavras a convencer
Quão prazerosa que sou
E não meço em esquecer
Como tudo começou ou terminou!

Ora, tão ledo engano.
De mentiras sem fim
Vou entrar pelo cano!
Mas...
 Minta pra mim!


Mônica Pamplona.
13/12/2016